Compras coletivas ajudam pais a economizar com material escolar

Quando as famílias se juntam, podem comprar pacotes com preços promocionais, que saem bem mais em conta do que o valor unitário.
Já ouviu falar em compra compartilhada? Muitos pais e muitas mães estão usando esse artifício pra economizar nas compras de material escolar. Fazer compras em grupo pode render bons descontos, de até 20%, em média.

É uma lição de matemática e de relações sociais que pais e mães estão aprendendo. É um alívio também para nessa época de contas acumuladas, principalmente para quem já tem o orçamento apertado.

Nas papelarias, os corredores estão lotados de famílias com listas intermináveis. “Régua, um estojo grande, lápis preto, caixa de lápis de cor e estojo de canetinha”, conta uma vendedora.

Tudo isso custa caro. Depois de pesquisar, a ajudante Eliana Nunes Santos economizou. “O caderno custa R$ 10. Eu tinha visto por R$ 16”, diz.

“Pensei em juntar várias mães para comprar um pacote, em vez de uma unidade. Seria muito interessante. Acho que daria para economizar”, brinca a advogada Valéria Lourenço.

Economia num passe de mágica? Não exatamente. A diferença é prova que a união faz a força. Quando as famílias se juntam, podem comprar pacotes com preços promocionais, que saem bem mais em conta do que o valor unitário.

Em uma loja, o tubo de cola custa R$ 0,70. No pacote de seis tubos, sai por R$ 0,56 cada. A diferença parece pequena, mas a economia é de 20%. A caixa de lápis de cor custa R$ 4,60. Comprando o pacote a R$ 46, é como se estivesse pagando 10 e levasse 12. Duro é reunir pais de 12 crianças que vão precisar do mesmo lápis de cor.

“A maior dificuldade são as marcas. Às vezes, um pai vai pelo preço e outro pela marca. Fica difícil juntar o pessoal para comprar”, acredita o advogado Paulo Sérgio Santos.

Um levantamento do Instituto de Pesquisa Data Popular mostra que faz mais compra compartilhada quem tem menor poder aquisitivo e precisa gastar menos. Nas classes A e B, 10% têm o costume de fazer compras compartilhadas. Na classe C, são 16% e na classe D, 23%.

“Toda vez que a população consegue se reunir para comprar material em conjunto, em média se economiza 10%. É melhor do que qualquer aplicação financeira”, afirma o coordenador da pesquisa Renato Meirelles.

Agora, o difícil é controlar os gastos, com as crianças por perto. A experiência mostra que, para convencer a criançada a abrir mão do material da moda, sempre mais caro, o melhor é explicar as vantagens da economia.

“Vai possibilitar a compra de uma bola, de uma chuteira ou mesmo de um livro para escola. Fica muito mais fácil de convencer os meninos que tudo bem ter um caderno parecido com outro”, diz o coordenador da pesquisa Renato Meirelles.

A pesquisa mostrou ainda que 2,5 milhões de brasileiros têm o hábito de economizar fazendo compras compartilhadas. O desconto é bom, mas o difícil é combinar com todos os pais e ainda com as crianças.                                      

Felipe Rodrigues da Silva

Consultor em E-commerce, sócio fundador da ZIO Soluções em Internet, com mais de 15 anos de experiência nas áreas de Internet, TI e Desenvolvimento de Software. E atuou na área de TI, em grandes empresas como Terra Networks, Grupo RBS, Unisinos e outras, hoje atuando como Consultor de E-commerce nos mais diversos segmentos.

Search